WHATSAPP (71) 99170-0494 - Seg a Sex das 8h às 17h

Criança com tdah - estrategias de enfrentamento diante do estresse

Criança com tdah - estrategias de enfrentamento diante do estresse
R$54,00

Disponível: Em estoque

Sumário

Summary

A literatura nacional e internacional, especializada nos estudos a respeito do TDAH e subtipos esclarece a dificuldade em se diagnosticar o transtorno, visto a necessidade de indícios do mesmo em mais de um ambiente, bem como a manifestação do estresse no infante e suas estratégias de enfrentamento. Deste modo, a proposta em questão trás à tona a relevância de investigações abrangendo a temática, devido à grande quantidade de discordâncias entre o desenvolvimento dos sinais preditivos e sua manifestação, os indicativos de estresse e as estratégias de enfrentamento utilizadas por estas crianças no contexto escolar. Os dados coletados receberam abordagem quanti-qualitativa conforme evidenciado nas figuras, quadros e nas inferências extraídas dos resultados. Por meio do Protocolo para Hipótese Diagnóstica para o TDAH foi possível fazer o levantamento de sinais preditivos para o TDAH. Para detectar ocorrência de indicativos de estresse no infante foi utilizado o Inventário de Estresse Infantil (ESI), o qual forneceu respaldo para o conhecimento da emissão de comportamentos inadequados, diante da vivência da quebra do equilíbrio no funcionamento normal da criança. A recuperação deste desequilíbrio exige a utilização de estratégias de enfrentamento, cujo uso depende da forma e como a criança vivencia o estressor, a idade que apresenta os sinais preditivos para o TDAH e subtipos e o contexto em que se encontra, vista sua influência no enfrentamento. A análise destas estratégias envolveu então, a categorização em Ação, Acting Out ou Fuga/Esquiva. Para a categorização das estratégias utilizou-se do questionário Presença de Estressores no Contexto Escolar. Com isso, participaram da pesquisa 15 crianças do sexo masculino com sinais preditivos para o TDAH e subtipos, com indicativos para estresse presente em uma das fases do modelo quadrifásico (alarme, resistência, quase-esxautão e exaustão). Além disso, foram analisados os Estilos de Confronto (Agressivo, Assertivo ou Passivo). Os resultados mostram que, conforme o processo maturacional, associado a fatores do meio (9 e 10 anos) os sinais preditivos para o TDA e TDAH tendem a se intensificar, porém, os indicativos de estresse encontram-se, em grande maioria na fase de alarme. Contudo, mesmo com o avanço da idade as crianças em questão não se utilizaram de um rol de estratégias de enfrentamento mais complexo, ficando esse restrito às crianças de menor idade (7 anos), cujos sinais preditivos para o TDH foi o que prevaleceu.

Sobre o Autor

Sobre o Autor

CÁSSIA AMÉLIA GOMES

Possui graduação em Psicologia pela Universidade do Sagrado Coração (USC), Especialista em Psicologia Clínica pelo HRAC/USP, aprimoramento em Técnicas Terapêuticas Junguiana, capacitação em Psicologia da Saúde aplicada a instiuições, escola e clínica, curso de formação em Psicoterapia Breve pela UNESP. Mestrado em Psicologia do Desenvolvimento e Aprendizagem pela UNESP/Bauru. Desenvolve pesquisas na aárea do estresse e estratégias de enfrentamento na infância, fatores de risco e proteção, atendimento em urgência e emergência, bem como diante de catástrofes, plantão psicológico. Analista de referencial junguiano, desenvolvendo estudos a respeito de temas, os quais aflições humanas, mitologia grega como estratégia clínica, a Psicologia Analítica na contemporaneidade.

TANIA GRACY MARTINS DO VALLE

Possui graduação em Licenciatura em Psicologia pela Fundação Educacional de Bauru (1975), graduação em Formação de Psicólogos pela Fundação Educacional de Bauru (1976), mestrado em Educação Especial (Educação do Indivíduo Especial) pela Universidade Federal de São Carlos (1984) e doutorado em Psicologia Clínica pela Universidade de São Paulo (2000). Atualmente é professor colaborador do Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais da Usp e Professor Assistente Doutor da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho. Tem experiência na área de Psicologia, com ênfase em Psicologia do Desenvolvimento Humano, atuando principalmente nos seguintes temas: desenvolvimento infantil, crianças contaminadas por chumbo, criança portadora de deficiência, violência sexual, avaliação psicológica, técnicas de exame psicológico, psicologia hospitalar, mães adolescentes, funcionamento e interações familiares.

Detalhes do Produto

Detalhes do Produto

editora Appris
Autor CÁSSIA AMÉLIA GOMES, TANIA GRACY MARTINS DO VALLE
ISBN-13 9788581921570
Edição 1
Ano da edição 2013
Número de Páginas 185
Cobrimos qualquer oferta Sim
Calcule o Frete

Calcule prazo de entrega e frete: