WHATSAPP (71) 99170-0494 - Seg a Sex das 8h às 17h

O sexo da verdade

Mais Imagens

O sexo da verdade
R$40,00

Disponível: Sem estoque


Descrição

Detalhes

7 ANÚNCIO 
SEMINÁRIO EM BUENOS AIRES DIAS 28, 29 E 30 DE JULHO DE 1998 

7 A VERDADE: INOPORTUNO MAL-ENTENDIDO 

9 PRÓLOGO 

13 PRIMEIRA SESSÃO, SEXTA-FEIRA DE MANHà

15 UMA VERDADE EXPOSTA 
15 1. Fragmentos 
18 2. A psicanálise: um jogo de verdade 

20 VERDADE VERSUS ESQUECIMENTO 
21 O eixo a1etheia - lethe 
21 Necessariamente dois esquecimentos 
23 Os esquecimentos freudianos 

29 SEGUNDA SESSÃO, SEXTA-FEIRA À TARDE 

29 O FALO, TERCEIRO TERMO 

33 SEGUNDA FIGURA DA VERDADE, A VERDADE DOS IGUAIS 

34 AS FIGURAS ULTERIORES DA VERDADE 
35 A. Nas seitas filos6fico-religiosas 
36 B. Entre retores e sofistas 

37 UMA OUTRA ESCRITA DA FUNÇÃO FÁLICA 
38 1. Uma função sem valores 
40 2. Dois eixos pata a função fálica e quatro valores fálicos da verdade 

44 ANEXO: SOBRE O DIREITO 

49 TERCEIRA SESSÃO, SÁBADO DE MANHà

50 VERSÓES DE ESQUECIMENTO 
50 1. Powys / lhe art of forgetting the unpleasant 
51 Uma terceira via entre dois escolhos 
53 Onde está a força fálica? 
55 2. Yerushalmi: os paradoxos do mandamento do não-esquecimento 
55 Yerushalmi pouco à vontade 
58 O que não deve ser esquecido, não há mais meio algum de discerni-lo 

65 QUARTA SESSÃO,SÁBADO DE TARDE 

67 A DITA COISA FREUDIANA E SUA ATUALIDADE 
68 1. Um tom 
71 2. A verdade terapeuta 
74 3. O maltratar da verdade 
75 4. Bruno I Lacan 
79 5. Do mestre-cão 
82 6. Duas reinterpretações lacanianas da verdade 
87 7. A metáfora mais grave 

93 QUINTA SESSÁO, DOMINGO DE MANHÁ 

93 PONTOS DE ORGÃO 
93 1. Sobre a algebrização da função fálica 
94 2. Sobre o retorno a Freud hoje 
95 3. Verdade, saber, esquecimento, sexo 

99 CRÍTICA DA CRÍTICA HEIDEGGERIANA DA VERDADE 
100 1. Sein und Zeit 
102 2. Vom Wesen der Wahrheit 
104 3. Posição de Heidegger 

107 SEXTA SESSÁO, DOMINGO DE TARDE 

107 UM MOMENTO EFETIVO DE SEMINÁRIO 
112 A ciência e a verdade 
119 Alguns anos mais tarde

Sumário

Summary

O psicanalista não é especialmente um detentor da verdade: nem seu cavaleiro, no sentido em que Kierkegaard desenhava a figura de uma cavaleiro da fé. Quantos sós, ou aninhando-se com alguns outros, detêm a verdade e ali estragam a vida? São impropriamente chamados "paranoicos", isto em razão de um erro, o esquecimento daquilo que são: mais simples mente noicos, conhecedores da verdade.

Detalhes do Produto

Detalhes do Produto

editora Cia de Freud
Autor JEAN ALLOUCH
ISBN-13 9788577240333
Edição 1
Ano da edição 2010
Número de Páginas 119
Calcule o Frete

Calcule prazo de entrega e frete: